Falsa empresa de agenciamento artístico usa foto de mais de 60 artistas para aplicar golpes
Reprodução internet
Falsa empresa de agenciamento artístico usa foto de mais de 60 artistas para aplicar golpes


Este colunista descobriu que diversos artistas - entre atores e cantores - estão sendo vítimas de golpe com seus perfis cadastrados em um falso site de agenciamento artístico. Nomes como os dos atores Bruno Gagliasso, Giovanna Ewbank, Luan Santana, Ingrid Guimarães e Gustavo Lima estão entre as vítimas que jpa confirmaram não ter dado nenhum tipo de autorização para o cadastramento dos seus perfis no site.

A empresa Bumerangue Produções Artísticas se apresenta na internet como a maior e mais antiga empresa atuante no segmento de agenciamento artístico do Brasil. Em sua descrição no site, a companhia informa que está há 30 anos no mercado e coloca telefones disponíveis para ofertar contrato com os atores cadastrados no casting, que é apresentado logo na página principal.


Entretanto, este colunista estranhou a presença de alguns atores no site, uma vez que mantém contato com muitos agenciadores responsáveis por estes artistas. Ao entrar em contato com muitos deles, como era de se esperar, veio a confirmação do golpe. Um dos atores, por exemplo, chegou já a registrar um boletim de ocorrência na delegacia e abriu um processo contra a empresa. Trata-se do ator Hugo Bonemer, que há dois anos tenta identificar os responsáveis pelo site após ter sido lesado e quase perder trabalhos em razão do falso agenciamento.

Você viu?

A coluna entrou em contato com o escritório que representa os contratos artísticos do casal Gagliasso há 15 anos. O escritório informou que irá tomar as medidas cabíveis acerca da ilegalidade. "Bruno e Giovanna são artistas exclusivos da 'Twogether' há mais de 15 anos e nenhuma outra empresa é autorizada a agenciar ou vender qualquer tipo de trabalho com os dois. Todos os negócios relativos aos artistas são fechados exclusivamente com a agenciadora", disse o comunicado.

Artistas vão tomar medidas contra o falso site após reportagem da coluna

A empresa que representa Bruno e Giovanna também é a mesma que toma conta do agenciamento artístico da atriz Ingrid Guimarães. O escritório também negou que a artista faça parte de outra agência e confirmou a ilegalidade da foto da atriz no site da Bumerangue.

Outra vítima do site é o cantor Luan Santana. Em contato com a coluna, o empresário de Luan informou que nenhum outro escritório está autorizado a vender shows do artista e que também passou ao setor jurídico o fato para que medidas sejam tomadas. O mesmo posicionamento foi dado à coluna pelo cantor Tico Santa Cruz. Vocalista da banda Detonautas, o perfil do grupo também faz parte do casting dos falsos agenciadores. Tico informou a este colunista que "nunca fez contato com esse tipo de gente" e que vai tomar as medidas necessárias para coibir a ilegalidade. O mesmo retorno também foi dado pelos representantes da banda Roupa Nova, e também pelo escritório responsável pela venda de shows e contratos que envolvem o sertanejo Gustavo Lima.

Hugo Bonemer vai à delegacia e abre processo contra Bumerang

O ator Hugo Bonemer já sofre há dois anos com seu nome cadastrado no casting da falsa empresa. O ator denunciou o falso site à polícia. De acordo com o boletim de ocorrência que a coluna teve acesso exclusivo, o artista relata às autoridades que quase perdeu importantes trabalhos, uma vez que o site da Bumerangue é um dos primeiros que aparecem na ferramenta de busca do Google. Ele conta que a empresa passou a vender ilegalmente seus serviços artísticos a terceiros sem sua autorização com valores acima do que ele cobra com a finalidade de aplicar golpes nos interessados. Ele também abriu um processo contra a empresa, mas a Justiça ainda não conseguiu localizar o responsável pelo falso site para entregar as intimações, uma vez que os endereços e dados disponíveis sobre a Bumerangue não são verdadeiros.

Íntegra do depoimento do ator Hugo Bonemer às autoridades

"A empresa Bumerangue Produções, localizada no Rio de Janeiro tem se feito passar por meus agentes artísticos, sendo a primeira opção na busca do Google. Recentemente se fizeram passar por produtores de uma uma série, me pediram orçamento e repassaram aos reais produtores supervalorizando o meu cachê. Em seguida mentiram que a série havia sido cancelada. Eu poderia ter perdido o emprego por conta destas duas posturas. Não sei informar quantas pessoas podem tê-los procuado e nunca chegaram até mim, por conta do site que indica sendo eles os responsáveis por minha carreira."

Depois de 20 minutos que essa nota foi publicada, o site da empresa ( https://www.bgpro.com.br/ ) saiu do ar.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários