Fim da briga: Belo e Denilson celebram acordo para pagamento de cerca de R$ 9 milhões
Reprodução/Instagram
Fim da briga: Belo e Denilson celebram acordo para pagamento de cerca de R$ 9 milhões


A coluna apurou com exclusividade que o cantor Belo entrou em acordo com o ex-jogador de futebol Denilson para  quitar uma dívida que gira em torno de R$ 9 milhões em valores atualizados . De acordo com as informações confirmadas por este colunista, o pagodeiro deverá quitar a dívida com base em uma negociação feita com Denilson até o ano de 2032 e ficará livre de todas as restrições judiciais. O acordo deverá ser assinado ainda esta semana para depois ser homologado na Justiça.

O acordo entre Belo e Denilson foi traçado pelos advogados. Belo estava enfrentando sérios problemas com as restrições judiciais impostas para a quitação da dívida contraída com Denílson. O problema surgiu há anos quando Belo decidiu deixar de ser o vocalista do grupo Soweto para ingressar na carreira solo. Denilson era empresário da banda e o cantor deixou o grupo sem pagar a multa prevista em contrato na época, e por isso acabou sendo cobrado por Denilson na Justiça. 


O novo acordo selado entre Belo e Denilson devolve ao cantor uma segurança financeira e jurídica para continuar realizando seus shows. Conforme essa coluna também noticiou em primeira mão, toda bilheteria dos shows realizados por Belo estavam sendo penhoradas pela Justiça. Dessa forma, nem o contratante e nem o cantor estavam vendo a cor do dinheiro até um cálculo ser feito pela Justiça, para que o dinheiro referente ao pagamento dos funcionários e dos contratantes fossem liberados. Essa logística burocrática estava deixando os contratantes e as casas de shows preocupadas, uma vez que dependeriam ainda de todos esses trâmites legais para receberem seus respectivos pagamentos.

Você viu?

Pagamento deverá ser feito até 2032

De acordo com informações confirmadas por essa coluna com exclusividade, o pagamento deverá ser feito por meio de diversas parcelas até o ano de 2032, podendo ser quitado antes. Ainda segundo esse colunista, com o acordo feito entre os dois neste final de semana todas as restrições judiciais impostas ao cantor para o pagamento da dívida serão canceladas. Essa liberação engloba todos os bloqueios que o cantor sofria em suas plataformas digitais para comercialização das suas músicas, todas as bilheterias de shows, e ainda o bloqueio de todos os royaltys. Belo também deixará a partir de agora de ter os cachês ofertados por programas de rádio e de televisão penhorados. 

As últimas penhoras judiciais para o pagamento da dívida foram realizadas nas bilheterias dos shows referentes à turnê 'Belo in Concert'. Belo retornou aos palcos recentemente após uma longa temporada sem fazer shows em razão da pandemia. Os shows do dia 11 e 12 de junho - em celebração ao Dia dos Namorados - tiveram os ingressos esgotados. Os bilhetes foram vendidos a R$ 320 reais e foram limitados até 2 mil ingressos em razão dos protocolos adotados durante a pandemia. 

Em contato com este colunista, o advogado de Denilson Marcus Roberto Barreto confirmou a penhora e explicou que outras frentes de bloqueio estavam cercando o patrimônio do cantor. Com o acordo celebrado, Belo deixa agora de receber um valor mínimo para sua sobreviência relacionado à venda dos ingressos.

Todo dinheiro acumulado com a venda dos ingressos dos shows do cantor eram repassados com as penhoras inicialmente ao juiz, e posteriormente analisado pela Justiça, que destinava ao cantor somente uma parte para manter suas necessides pessoais e também para o pagamento das despesas com funcionários e repasses aos contratantes. Agora o cantor volta ao ritmo normal recebendo integralmente pelos shows realizados, assumindo então a obrigação de repassar para Denilson "de boa fé" todos os valores mensais acordados até 2032.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários